História

Imprimir

Na Década de 70 o futebol brasileiro Tricampeão Mundial atravessava uma das fases mais brilhantes de sua História. No Rio, o Maracanã era o principal templo do esporte e o Fluminense detona emoções e colore a cidade de verde, vermelho e branco com a conquista de títulos de campeão brasileiro em 70 estadual (71, 73 e o bi 75/76). No exterior o Fluminense acumula novas vitórias, entre elas a Taça Tereza Herrera em 12 de Outubro de 1976 – o ano do bicampeonato carioca.

Fiel Tricolor

Um grupo de torcedores liderado por Helena Lacerda e integrado por Otávio de Oliveira Caravalho, José Henrique Pires, Marilete France, Andre Valli, Denise Ribeiro, Paulo Cesar Hungria, Nair Hungria, Sérgio Luiz Azevedo e José Carlos entre outros, fundam nesta época a Torcida Fiel Tricolor. A nova facção logo se tornou uma das mais vibrantes do futebol carioca, agitando as arquibancadas com uma empolgante bateria, muitas vezes com os instrumentos nota 10 da Acadêmicos do Salgueiro e a beleza de suas bandeiras, faixas e torcedores.

Em 1977 Marilete France participou do Concurso de Miss Rio de Janeiro como representante da Fiel Tricolor e conquistou o título de Miss Simpatia. No biênio 1979/1980 a Fiel Tricolor conquista o bicampeonato naquele concurso, com Jurema de Carvalho e Rosane Guimarães Machado. Sempre o comando da incansável Tia Helena, a Fiel Tricolor se consolidou entre as principais torcidas do futebol brasileiro, acompanhando o time em todo o país, lançando um slogan que marcou época: "o mais amado do Brasil". Participou de importantes eventos promovidos pelo clube, sendo tricampeão da Olimpíada Tricolor.

A sede da Torcida Fiel Tricolor – localizada no Estádio do Maracanã, 350 A – foi considerada a mais bem montada e organizada do Brasil. Por ocasião do começo das obras de reforma do Maracanã, quando foram fechadas todas as salas de Torcidas Organizadas, a Direção da SUDERJ sugeriu a transformação da sala da Fiel Tricolor em Museu. A proposta foi recusada por Tia Helena em solidariedade com suas co-irmãs que perderam suas salas.

Em 1994, devido a violência que afastou os torcedores e suas famílias dos estádios, a Fiel Tricolor suspendeu suas atividades retornando em Novembro de 2001 sob a liderança de Carlos Almeida e integrado por Marcelo Santos, Verônica Musser, Sidney Musser, José Henrique Pinto, Alexandre "Magal", Fabrício Pantoja, Pedro Pereira Júnior ("Zecão"), Sebastião Viegas, Cleber, Renato, Leleu e o apoio incondicional desta que é o exemplo de uma Fiel Tricolor Helena Lacerda, a Tia Helena.A volta da torcida aconteceu em grande estilo, por ocasião da disputa do maior clássico do futebol brasileiro – o Fla x Flu –, com a vitória do Fluminense por 1 x 0, gol de Roger.

A Fiel Tricolor vem trazendo em sua bagagem projetos que poderão mudar a visão do que é e para o que também serve uma torcida organizada. Entre os seus projetos, destacamos os que envolvem a parte social, como a arrecadação de alimentos e roupas para carentes, doação de sangue, escolinha de futebol (salão e campo), convênios que venham a beneficiar os nosso componentes, entre outros. De certa forma buscaremos um maior envolvimento com o clube.

Voltamos para ficar e dar ao Fluminense o apoio necessário nas arquibancadas e fora dela, agitando nossas bandeiras na esperança de um tempo de paz e alegria com o retorno das famílias aos estádios e dizendo sempre não à violência e principalmente comemorando a conquista de novos títulos, soltando o grito que a sete anos estava preso na garganta de toda a família Fiel Tricolor:

"É CAMPEÃO! É CAMPEÃO! É CAMPEÃO!"

Fluminense 100 anos de Glória.

 

Tia Helena

Tia Helena com o Ex Presidente Francisco Horta.

Caravanas

Próxima Caravana: A Definir
Saída:
Horário:
Local:
Preço:

Facebook